Notícias

Exposição Posters 9.ª Edição | ULSBA, EPE

A Exposição de Posters Científicos do Prémio de Boas Práticas em Saúde, decorre entre 4 e 15 de maio de 2016, na Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, no hall de entrada do edifício do Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja.

A mostra reúne os 15 posters dos projetos nomeados para a categoria de "Melhor Projeto" no âmbito da 9ª Edição de 2015, bem como os distinguidos com o primeiro Prémio e com a Menção Honrosa, na categoria de "Poster Científico".

Entre os premiados está o projeto "Lancheira Sorriso em Movimento", da ULSBA, que foi convidado a expor um poster científico, tendo obtido o prémio de melhor poster científico de 2015 do PBPS.

A ULSBA, em 2015, candidatou ainda o projeto "Organização de cuidados ao pé diabético" que foi convidado para apresentação oral no Encontro de Boas Práticas, tendo sido classificado entre os melhores projetos.

GALERIA DE FOTOS

Link site http://www.apdh.pt/exposicaopbpulsba

Exposição Posters 9.ª Edição | ACSS, IP

A Exposição de Posters alusiva ao Prémio de Boas Práticas em Saúde esteve patente ao público, entre 15 e 29 fevereiro de 2015, no hall de entrada do edifício sede da ACSS, no Parque de Saúde de Lisboa.

A mostra reuniu os 12 posters dos projetos nomeados para a categoria de “Melhor projeto” no âmbito da 9.ª Edição de 2015, bem como os distinguidos com o primeiro prémio e com a Menção Honrosa, na categoria de “Poster Científico”.

http://www.apdh.pt/exposicaopbp

Exposição Posters 8.ª Edição | Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE

O Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE tem patente, desde o dia 08 de maio até 4 de junho de 2015, uma Exposição de Posters da edição de 2014 do Prémio de Boas Práticas em Saúde.

A Exposição estará acessível para visita até ao dia 04 de junho de 2015 (quinta-feira), na Sala de Formação 361 (junto ao Serviço de Esterilização), sendo que a instituição disponibiliza desde já algumas fotografias do evento.

Link http://www.apdh.pt/node/1749

Comemorações 10 anos das Boas Práticas em Saúde, publicações Revista “ACONTECE”, ACSS|Revista “O HOSPITAL”, APDH

Revista “O HOSPITAL”, APDH

·      “10 anos a Premiar as Boas Práticas. Das primeiras iniciativas à consolidação de um Evento de âmbito nacional”, texto de Adelaide Brissos (Coordenadora do PBPS), Publicado na revista “O Hospital” n.º 7, abril/maio 2016. Consultar aqui http://www.apdh.pt/revistaohospital7

·      “Boas Práticas em Saúde, uma experiência no Algarve. Programa “Janela Aberta à Família”, Texto de Ana Cristina Guerreiro, Diretora do Departamento de Saúde Pública e Planeamento da ARS Algarve (Elemento da Comissão organizadora do PBPS), Publicado na revista “O Hospital” n.º 9, setembro/outubro 2016. Consultar aqui http://www.apdh.pt/revistaohospital9

·      “Boas Práticas em Saúde, uma experiência em Lisboa e Vale do Tejo. Doença Crónica na Criança, reorganizar para promover ”. Publicado na Revista “O Hospital” n.º 10, novembro/dezembro 2016. Consultar aqui http://www.apdh.pt/revistaohospital10

Revista “ACONTECE”, ACSS, IP

  • “Prémio de Boas Práticas em Saúde celebra 10 anos. SNS vs Inovação – Horizontes futuros é o Tema para 2016”, texto da Equipa da Revista “ACONTECE”, Publicado na revista “ACONTECE” n.º 5, março de 2016. Consultar aqui http://www.apdh.pt/acontece5
  • “Prémio de Boas Práticas em Saúde aprova 66 candidaturas” texto da Equipa da Revista “ACONTECE”, Publicado na revista “ACONTECE” n.º 6, Julho de 2016. Consultar aqui http://www2.acss.min-saude.pt/Portals/0/Acontece%20-%20ACSS%20-%20N.%C2%BA%206%20julho%202016%20-%20Fnal%20LL.PDF

Exposição Posters 9.ª Edição | ULSLA, EPE

Depois de passar por Beja (ULSBA), a Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano foi a segunda instituição da Região do Alentejo a receber a Exposição de 15 Posters Científicos da 9.ª Edição do Prémio de Boas Práticas em Saúde.

Entre 13 e 17 de junho 2016, o Hospital do Litoral Alentejano acolheu os posters dos projetos nomeados para a categoria de "Melhor Projeto" do PBPS 2015, bem como os projetos distinguidos com o primeiro Prémio e com a Menção Honrosa, na categoria de "Poster Científico".

http://www.apdh.pt/exposicaopbpulsla

A voz da vencedora do prémio de boas práticas em saúde, Dra. Ana Maria Vieira Araújo

Antes de mais apresentamos a vencedora do Prémio de Boas Práticas em Saúde® – 2015: Ana Maria Vieira Araújo, médica psiquiatra no Centro Hospitalar Universitário de Coimbra e Coordenadora do CRIP – Centro de Responsabilidade Integrado de Psiquiatria.

Relativamente ao projecto científico desenvolvido e agora laureado, a sua autora intitulou-o: Unidade de Saúde Mental Comunitária Leiria Norte. Integração em Cuidados de Saúde Primários.

Antes de mais apresentamos a vencedora do Prémio de Boas Práticas em Saúde - 2015: Ana Maria Vieira Araújo, médica psiquiatra no Centro Hospitalar Universitário de Coimbra e Coordenadora do CRIP - Centro de Responsabilidade Integrado de Psiquiatria.

Relativamente ao projecto científico desenvolvido e agora laureado, a sua autora intitulou-o: Unidade de Saúde Mental Comunitária Leiria Norte. Integração em Cuidados de Saúde Primários.

A Dra. Ana Maria Araújo, em duas frases sintetizou-nos o estudo que levou a termo: 'Este projecto foi iniciado no terreno à data de 17 de Março de 2011 com um trabalho prévio de avaliação e análise na zona de referenciação do Programa de Reestruturação dos Serviços de Saúde Mental'.

Atendendo a que estes projectos carecem necessariamente de apoios, a Dra. Ana Maria Araújo não aforrou palavras para exaltar a valiosa colaboração prestada pelo Conselho de Administração, à data presidido pelo Dr. Fernando de Almeida, e que após a fusão dos hospitais o processo conheceu novos apoios, nomeadamente com a implementação de novas equipas de saúde mental e sempre patrocinado pelo Director do CRIP, Dr. Reis Marques.

Muito haveria para escrever sobre o elevado espírito altruísta desta médica psiquiatra, no entanto a resposta à nossa pergunta sobre o seu sentir ao saber-se laureada com o Prémio de Boas Práticas em Saúde espelha com rigor a sua reflexão: 'Estou de facto feliz sobretudo por este reconhecimento ter partido de uma avaliação externa realizada por individualidades credenciadas e conhecedoras da gestão hospitalar.' E a Dra. Ana Maria Araújo destacou: 'Sentimo-nos realmente recompensados com o Prémio, não pelo prémio em si, que também é inerente à situação, mas acima de tudo pela análise criteriosa, isenta e imparcial feita e que levou o júri a reconhecer que o nosso trabalho se mostra correcto e adequado ao momento difícil que estamos a viver e que obriga a sólidas contenÁıes financeiras'. A terminar afirmou: 'Estou em crer que estamos ante um modelo de baixos custos que pode ser replicado no futuro por pessoas que tratam de pessoas'.

Texto: Carlos Gamito carlos.gamito@iol.pt
Fotografia: APDH
Paginação e Grafismo: Marisa Cristino

A APDH recebeu uma equipa de profissionais de saúde proveniente de Florianópolis, Estado de Santa Catarina, Brasil

O Prémio de Boas Práticas em Saúde - PBPS já atravessou o Atlântico e chegou a Florianópolis, Estado de Santa Catarina, Brasil. Recordamos que o PBPS foi criado pela Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar - APDH, com o alto patrocínio da Direcção-Geral de Saúde - DGS, a colaboração da Administração Central do Sistema de Saúde - ACSS e também das Administrações Regionais de Saúde (ARS) do Continente e Serviços Centrais de Saúde das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.

Mas vamos à notícia:
No dia 1 de Junho de 2015 chegou a Lisboa um grupo de três profissionais de saúde, respetivamente o Dr. Daniel Moutinho Júnior, médico, Secretário de Saúde de Florianópolis; Daniela Calderon, enfermeira, diretora de planeamento e membro da Comissão Organizadora do PBPS em Florianópolis, e Katiuscia Pereira, enfermeira, gerente de planos e metas, também membro da Comissão Organizadora do PBPS em Florianópolis.
O objetivo da visita centrou-se na perscrutação in loco da complexa estrutura que envolve o processo de atribuição do PBPS.
A APDH, na qualidade de anfitriã, em estreita colaboração com os seus parceiros, elaborou um vasto programa de atividades em torno das apresentações dos projetos vencedores do PBPS ocorridas em edições transatas e que visaram uma amostragem real ao grupo da Prefeitura (Município) de Florianópolis.
De salientar que no âmbito desta visita também esteve bem patente o objetivo de dar a conhecer a organização dos Cuidados de Saúde Primários em Portugal, sector que no Brasil está sob a tutela das Prefeituras.


A APDH - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar, foi a anfitriã do grupo de profissionais de saúde provenientes de Florianópolis, Brasil

Agenda de trabalhos

Na tarde do dia 1 de Junho, a equipa de profissionais brasileiros foi recebida nas instalações da APDH onde o Dr. Artur Vaz, Presidente da Assembleia Geral, em representação da Prof.™ Doutora Ana Escoval, Presidente da Associação, apresentou cumprimentos de boas-vindas aos visitantes.
Apresentadas as saudações, a Dra. Adelaide Brissos, Coordenadora do PBPS, fez uso da palavra para descrever pormenorizadamente todo o historial e evolução que se tem verificado na orgânica para atribuição do PBPS.
A intervenção da Dra. Adelaide Brissos foi sustentada pela projeção de um detalhado acervo de diapositivos que demonstraram de A a Z o complexo mecanismo que permite erguer o evento que culmina com a atribuição do Prémio de Boas Práticas em Saúde.

Adelaide BrissosA Dra. Adelaide Brissos (sentada em frente ao PC portátil), Coordenadora do Prémio de Boas Práticas em Saúde (PBPS), no momento da sua apresentação que encerra todo o complexo processo de atribuição do PBPS

No seguimento dos trabalhos, a Dra. Tereza Lopes e a Dra. Ana Cristina Guerreiro, fizeram comunicações centradas na relevante colaboração prestada pelas respetivas Regiões de Saúde em todo o processo que envolve o PBPS.
A Dra. Tereza Lopes, assessora da direção da ARS Alentejo e membro da Comissão Organizadora do PBPS, documentou a sua intervenção com um conjunto de slides onde foram apresentados mapas geográficos e ambientais demográficas integradas na ARS Alentejo.

Tereza LopesNa foto (em pé), a Dra. Tereza Lopes a apresentar os Agrupamentos que agregam os vários Centros de Saúde estabelecidos no Alentejo. ¿ esquerda na imagem, estão as Enfermeiras Daniela Calderon e Katiuscia Pereira

Terminada a apresentação da Dra. Tereza Lopes, coube à Dra. Ana Cristina Guerreiro, médica a exercer na ARS Algarve e membro da Comissão Organizadora do PBPS, apresentar, detalhadamente, os Agrupamentos que agregam os vários Centros de Saúde da região algarvia. Na sua comunicação fez questão de sublinhar que pese embora o Algarve se apresente como um território de pequenas dimensões, agrupa no entanto um elevado número de residentes, número esse que se avoluma significativamente nos meses de Verão, situação que compele a um intensificado esforço de trabalho por parte dos profissionais de saúde da região.

Ana Cristina GuerreiroA Dra. Ana Cristina Guerreiro (junto ao PC portátil) pautou a sua apresentação com um detalhado olhar sobre a atual situação dos Centros de Saúde do Algarve

Com a comunicação da Dra. Ana Cristina Guerreiro, foi encerrado o primeiro dia de trabalhos proporcionado à equipa visitante, não sem que antes fosse aberto um espaço de discussão e análise sobre o desenvolvimento do PBPS em Portugal e em Florianópolis.
No que concerne aos restantes dias da semana, o dia 2 de Junho foi inteiramente reservado a reuniões de trabalho onde estiveram presentes várias individualidades que se debruçaram sobre a participação ativa no processo de desenvolvimento do PBPS por parte dos Serviços Centrais do Ministério da Saúde; Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), representada pela sua Vice-presidente, Dra. Carla Gonçalo, e Direção-Geral de Saúde (DGS), com a presença da Dra. Maria Cortes. Em representação da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar (APDH), esteve o Prof. Doutor Carlos Pereira Alves, membro da Direcção da Associação.
O período da manhã do dia 3 de Junho foi preenchido com a visita ao Agrupamento de Centros de Saúde de Sintra - USF Mactamã, Massamá, onde foi apresentado e avaliado o projeto pré-selecionado para o PBPS 2015, denominado Reorganização do Circuito de Gestão Integrada do Medicamento: Projeto dos Armazéns Avançados. A comunicação deste projecto esteve a cargo das suas autoras, respetivamente Dra. Nadine Ribeiro e Dra. Ana Andrade.

Nadine RibeiroA Dra. Nadine Ribeiro (de pé), os restantes elementos da equipa do projeto Reorganização do Circuito de Gestão Integrada do Medicamento e (à direita) dois membros da Comissão Cientifica a avaliar o projeto

 

EquipaEquipa que integra o projeto Reorganização do Circuito de Gestão Integrada do Medicamento, do ACES de USF Mactamã, Massamá

 

No período da tarde deste mesmo dia (3 de Junho), foi realizada uma visita ao Agrupamento de Centros de Saúde de Cascais - USF Marginal, onde a Dra. Ana Ferrão apresentou o projeto intitulado Organização Aprendente, nomeado e galardoado (2.∫ lugar - menção honrosa) na edição de 2013 do PBPS.

Ana FerrãoA Dra. Ana Ferrão, Coordenadora da USF Marginal, apresentou o projeto Organização Aprendente

A manhã do dia 4 de Junho foi destinada à visita técnica da Região de Saúde do Centro - Unidade de Saúde Familiar de S. Julião, Centro de Saúde da Figueira da Foz, onde foi dada a conhecer a reformulação dos Cuidados de Saúde Primários em Portugal, mais concretamente o modo de funcionamento desta Unidade de Saúde Familiar (USF).

Grupo de trabalhoGrupo de trabalho no final da reunião decorrida na Unidade de Saúde Familiar de S. Julião. Na imagem e da esquerda para a direita: Enfermeira Teresa Rodrigues; Enfermeira Daniela Calderon; Dra. Tereza Lopes; Dr. Daniel Moutinho Júnior; Dr. José Luís Biscaia; Dr. Mário Jorge Santos; Dr. Diogo Gomes e Dr. Fernando Guerra. Ao centro a Enfermeira Katiuscia Pereira e Dra. Adelaide Brissos

Na parte da tarde do dia 4 de Junho foi visitado o Hospital Distrital da Figueira da Foz onde foi apresentado o Projeto de vigilância epidemiológica integrado e intersectorial de agentes e seus vetores, Unidade de Saúde Pública (USP), ULS Litoral Alentejano, da autoria do Dr. Mário Jorge Santos; Diogo Gomes, Técnico de Saúde Ambiental, e Enf.™ Teresa Rodrigues, projeto nomeado na edição de 2013 do PBPS.
As atividades encerraram com uma visita à exposição de posters nomeados como boas práticas, edição de 2014 do PBPS.

Pedro Beja AfonsoO Dr. Pedro Beja Afonso, Presidente do Conselho de Administração do Hospital Distrital da Figueira da Foz (à direita na foto), também esteve presente na apresentação do Projeto de vigilância epidemiológica integrado e intersectorial de agentes e seus vetores, Unidade de Saúde Pública (USP), ULS Litoral Alentejano

Fim da visita

Para trás ficara uma extensa semana de trabalhos, sendo de salientar a exímia articulação verificada entre a APDH e as instituições que colaboraram e corporizaram a visita de carácter técnico ao grupo de Florianópolis.
O dia 5 de Junho assinalou o final do périplo que culminou com a realização de um roadshow de boas práticas que decorreu na ARS de Lisboa e Vale do Tejo, onde participaram membros da Direção da APDH, do Conselho Diretivo da ARS e da Comissão Organizadora do Prémio.
Antes do encerramento da sessão, foram apresentados quatro projectos nomeados em edições anteriores do PBPS:

  • Reconciliação Terapêutica
  • Hospital de Santiago, Setúbal.
    Autoras: Dra. Rita Carvalho e Dra. Ana Cristina Ribeiro;

 

Rita CarvalhoA Dra. Rita Carvalho fez a apresentação do projeto Reconciliação Terapêutica, desenvolvido no Hospital de Santiago, Setúbal

 

  • Anatomia Patológica Digital no Centro Hospitalar Cova da Beira
  • Centro Hospitalar Cova da Beira.
    Projeto vencedor do PBPS, edição de 2014.
    Autoras: Dra. Rosa Maria Tomé e Dra. Rosa Maria Ballesteros;

 

 Anatomia Patológica DigitalO projeto intitulado Anatomia Patológica Digital no Centro Hospitalar Cova da Beira, a ser apresentado por uma das suas autoras, a Dra. Rosa Maria Tomé

 

  • PESO - SAUD¡VEL (Pesa, Enumera, Soma e Opta - Saudável)
  • UCC díAlagoa, ACES do Algarve II - Barlavento.
    Autora: Dra. Anabela Simões;

 

Anabela SimõesA Dra. Anabela Simões (à direita) a expor a apresentação do projeto da sua autoria denominado PESO - SAUDÁVEL

 

  • ACESRESP - Cuidados Respiratórios Domiciliários
  • ACES Grande Porto II - Gondomar
    Autor: Dr. Fernando Almeida

 

Fernando AlmeidaRegisto do Dr. Fernando Almeida num dos momentos em que explanava a apresentação do seu projeto

E os trabalhos foram encerrados com a equipa de Florianópolis a apresentar um minucioso estudo escorado em ilustrativos diapositivos, cuja comunicação, a cargo do Dr. Daniel Moutinho, se desenvolveu em duas partes, reportando-se a primeira à estrutura orgânica dos Cuidados de Saúde Primários em Florianópolis, e a segunda assentou na apresentação de um projeto vencedor como boa prática no PBPS de Florianópolis, intitulado Acesso Avançado no Centro de Saúde do Saco Grande.

Daniel Moutinho JúniorO roadshow foi encerrado com a apresentação do Dr. Daniel Moutinho Júnior

Esta visita técnica proporcionada à equipa de profissionais brasileiros encerrou, como atrás ficou descrito, o complexo mecanismo que envolve o Prémio de Boas Prática em Saúde e a abordagem de variadíssimos temas ligados ao sector da saúde, nomeadamente a reforma em curso dos Cuidados de Saúde Primários.

Avaliação em termos de balanço final, do Dr. Daniel Moutinho Júnior

momento de adaptaçãoAntes de abrirmos a entrevista ao grupo de profissionais brasileiro, criámos um momento de adaptação à conversa

As três individualidades, fazendo jus à afabilidade que caracteriza o povo brasileiro, disponibilizaram-se para uma circunstancial conversa com a nossa reportagem.
O Dr. Daniel Moutinho Júnior, num primeiro momento começou por nos dizer que a visita realizada a Portugal e inteiramente focada na observação in loco dos procedimentos para atribuição do Prémio de Boas Práticas em Saúde, foi fruto da vontade de melhorarem os conceitos e as metodologias empregues em Florianópolis, servindo-se para tanto dos conhecimentos, da experiência e da matriz utilizada em Portugal'. E adiantou: 'No próximo mÍs de Dezembro a nossa Secretaria Municipal de Saúde vai organizar a 4.™ edição do PBPS, e nessa perspetiva a APDH - a quem muito agradecemos publicamente -, disponibilizou-se para nos receber e promover as documentativas reuniões que nos permitiram analisar os métodos aplicados no vosso País'.
Ainda de acordo com o Dr. Daniel Júnior, o PBPS de Florianópolis tem contado com cerca de noventa projetos científicos submetidos a avaliação, no entanto só cerca de dez chegam à fase final do processo para atribuição do Prémio.
Atendendo a que os trabalhos apresentados carecem inteiramente da componente científica, não pudemos deixar de instar o nosso interlocutor se no Brasil existem condições para o desenvolvimento de projetos de investigação científica. O Dr. Daniel Júnior foi incisivo na resposta: 'Não, lamentavelmente há muito pouco material produzido no campo da investigação científica no Brasil. Perguntar-me-á porquê, e eu aponto-lhe duas fortes razões: por um lado, somos confrontados com o desinteresse e a ausência de incentivos da classe política, e por outro lado verificamos uma absoluta desmotivação por parte do universo de profissionais de saúde, sejam médicos, enfermeiros ou outros'.
Sempre ortodoxo nas afirmações, o Dr. Daniel Moutinho Júnior concluiu a sua linha de raciocínio e, ainda que sumido, deixou transparecer um laivo de satisfação: 'O PBPS está a servir de embrião para a publicação de uma revista devidamente indexada onde são difundidos os trabalhos selecionados para atribuição do Prémio de Boas Práticas em Saúde que decorre anualmente em Florianópolis'.

E terminamos com a voz das senhoras enfermeiras

Daniel Moutinho JúniorO Dr. Daniel Moutinho Júnior, ladeado pelas Enfermeiras Daniela Calderon (à esquerda) e Katiuscia Pereira, concederam uma entrevista à nossa reportagem na qual não esconderam os seus sorrisos e, quase em uníssono, testemunharam o quanto foi relevante a visita a Portugal

A uma só voz instámos as Senhoras Enfermeiras que integraram o grupo de trabalho sobre o balanço que lhes oferecia quanto à exaustiva mas extraordinariamente documentativa semana de trabalhos experienciados em Portugal.
A Senhora Enfermeira Katiuscia Pereira expressou a sua opinião: 'Atendendo a que desempenho funções na Secretaria de Saúde, Diretoria de Planeamento, Informação e Captação de Recursos de Florianópolis, observei atentamente os vários procedimentos que gentilmente nos apresentaram e estou certa que muitos serão utilizados não só no âmbito do PBPS como nalgumas valências dos serviços de saúde do nosso Município'.
Por seu turno, disse-nos a Senhora Enfermeira Daniela Calderon: 'Também trabalho na Diretoria de Planeamento de Florianópolis. O balanço que me apraz é francamente positivo. Foi uma semana muito enriquecedora no plano do conhecimento, pelo que deixo um sentido agradecimento a todas as instituições que nos receberam e em particular à Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar'.

Texto: Carlos Gamito carlos.gamito@iol.pt
Fotografia: APDH, ARS LVT e HDFF
Paginação e Grafismo: Marisa Cristino

Exposição Posters 9.ª Edição | ULS do Baixo Alentejo, EPE

A Exposição Fotográfica "Posters Boas Práticas em Saúde" decorre entre 4 e 15 de Maio de 2015, em Beja, na Unidade Local do Baixo Alentejo, no hall de entrada do edifício do Hospital José Joaquim Fernandes.

Posters Boas Práticas em Saúde

Posters Boas Práticas em Saúde

Posters Boas Práticas em Saúde

Posters Boas Práticas em Saúde

Posters Boas Práticas em Saúde

Posters Boas Práticas em Saúde

Posters Boas Práticas em Saúde

 

Posters Boas Práticas em Saúde

Posters Boas Práticas em Saúde

A visão do Professor Pedro Sá Moreira sobre o Prémio de Boas Práticas em Saúde

O Prémio de Boas Práticas em Saúde foi o tema central desta entrevista concedida pelo Professor Pedro Sá Moreira, no entanto outras constituintes do sector da Saúde e muito particularmente a investigação científica foram objecto de análise por parte deste docente licenciado em enfermagem pela Faculdade Fernando Pessoa no ano de 2007 e doutorado em Saúde Pública pela Universidade de Alicante, Espanha, e Escola Nacional de Saúde Pública - Universidade Nova de Lisboa, cujas insígnias de doutor lhe foram impostas em 2013.

Convirá recordar que o Prémio de Boas Práticas em Saúde, atribuído anualmente, foi criado pela Associação Portuguesa de Desenvolvimento Hospitalar - APDH e a Direcção Geral de Saúde, em parceria com a Administração Central do Sistema de Saúde e as Administrações Regionais de Saúde do Norte, Centro, de Lisboa e Vale do Tejo, do Alentejo, do Algarve, e com o apoio da Deloitte Portugal. A 1.ª edição desta reconhecida iniciativa teve lugar no ano de 2006 e, com base nos êxitos observados ao longo dos anos, para a 9.ª edição - a decorrer em data e local a anunciar oportunamente - já foram abertas as apresentações de candidaturas, cujo período entrecorrerá desde o pretérito dia 1 de Abril até ao próximo dia 15 de Maio de 2015. A entrega dos Prémios é feita, em cerimónia Pública, habitualmente no final do Encontro Prémio Boas Práticas em Saúde, realizado anualmente e no âmbito do qual são apresentados os projetos melhor pontuados (nomeados), de entre os quais será nomeado o vencedor.

O Prémio de boas Práticas sem Saúde repercute-se em várias frentes

Pedro Sá Moreira
Pedro Sá Moreira

O Professor Pedro Sá Moreira, instado sobre a motivação que esta acção tem despertado junto dos profissionais de Saúde, documentou a sua resposta alicerçada em sólidos fundamentos: 'A atribuição do Prémio de Boas Práticas em Saúde gera, em cadeia, um impacto de valor acrescentado não só para os profissionais dos vários ramos da Saúde - estes que vêm o enriquecimento dos seus currículos -, como para as instituições onde exercem, no entanto convém que tenhamos presente que o trabalho realizado e distinguido também se repercute junto de todas as outras entidades associadas às próprias instituições’. E frisou: 'Devemos ter em atenção que o Prémio não se focaliza só em áreas específicas do País.

O Prémio abrange Portugal de Norte a Sul e naturalmente que se estende à Ilha da Madeira e ao Arquipélago dos Açores.' Num outro momento da conversa, o Professor fez questão de sublinhar que inicialmente acompanhou esta iniciativa na perspectiva académica, todavia 'Devo confessar que hoje me sinto regozijado por poder participar activamente no vasto e complexo processo metodológico a nível científico que envolve a atribuição do Prémio de Boas Práticas em Saúde'.

No plano da investigação científica, as universidades Portuguesas estão cada vez mais próximo da excelência

Pedro Sá Moreira
Pedro Sá Moreira

Docente e investigador científico, o Professor Pedro Sá Moreira afirmou-nos que, pese embora as dificuldades existentes, estão criadas condições para que Portugal, em termos de investigação científica, possa ombrear com os restantes países da Europa

A actividade principal do Professor Pedro Sá Moreira assenta na investigação científica, e nós, olhando às vozes que soam acerca da gritante falta de condições para se poder investigar em Portugal, questionámos este investigador se, em contraciclo aos ecos que ressoam, tem encontrado os requisitos necesSários para desenvolver os seus projectos. Pedro Sá Moreira foi peremptório na resposta: 'As eventuais dificuldades com que possamos ser confrontados devem servir de alavancagem para nunca desistirmos e lutarmos contra os acidentais condicionalismos.

Devemos estar conscientes que de facto existem dificuldades, mas por outro lado cabe-nos pensar que, com empenho, encontramos sempre capacidades de as superar. Sim, os maiores condicionalismos verificam-se a nível financeiro, a nível de estruturas e a nível de casuística, no entanto e pese embora as acentuadas limitações, não podemos ignorar que as nossas Universidades estão cada vez mais próximo da excelência. Ou seja, na área da investigação sempre nos foram atribuídos alguns Prémios, e neste momento, apesar do longo caminho que ainda temos para percorrer, estão abertas algumas janelas de oportunidade para atingirmos um patamar cimeiro a nível europeu'. A este propósito, o Professor Pedro Sá Moreira salientou a importância da participação do sector empresarial, colocando sempre o cidadão no centro, meios que este académico considera como fundamentais para o desenvolvimento da inovação e da criatividade na área da Saúde.

O Prémio de boas Práticas em Saúde também representa um robusto contributo para o serviço nacional de Saúde

O Prémio de Boas Práticas em Saúde mostra-se uma valiosa base de enriquecimento para o Serviço Nacional de Saúde, asseverou o Professor Pedro Sá Moreira

Regressados ao tema principal desta entrevista, terminámos a solicitar ao Professor Pedro Sá Moreira uma palavra de incentivo a endereçar a todos os profissionais de Saúde para que considerem a sua candidatura ao Prémio de Boas Práticas em Saúde: 'Agradeço esta oportunidade para deixar o meu testemunho de plena gratidão a todos os que se propıem abraçar esta notável iniciativa através dos trabalhos que realizam, mas permito-me fazer notar que para além do Prémio está, simultaneamente, implícito o contributo que oferecem ao Serviço Nacional de Saúde'. 'O Serviço Nacional de Saúde é de todos e depende de todos, e nesse sentido cabe a todos os profissionais de Saúde emprestarem os seus saberes e conhecimentos para o engrandecimento do pilar que sustenta a assistência na Saúde de todos os Portugueses'.

Texto: Carlos Gamito carlos.gamito@iol.pt
Fotografia: Rita Santos
Paginação e Grafismo: Marisa Cristino